ArsSexualis2023-01e.png

Ars Sexualis: por baixo dos panos - Exposição Internacional - traz à baila assuntos que nem sempre são vistos ou tratados parcimoniosamente na Universidade: corpos, corpas e desejos expressos de modo imagético.

 

A exposição teve a curadoria de Bruno Novadvorski, Sue Gonçalves e Chris, The Red e teve a participação de artistes nascides no Brasil, Chile e Espanha, além de brasileires residentes nos EUA, França e Portugal. A abertura foi no dia 22 de novembro de 2022, às 18h e visitação de 23 a 30 de novembro de 2022, das 10h às 18h, na Pinacoteca Barão de Santo Ângelo no Instituto de Artes da UFRGS, localizada na rua Senhor dos Passos, 248, 2º andar, Centro Histórico, Porto Alegre – RS. 

 

Trata-se de uma mostra que provoca os discursos dos dispositivos de arte em relação à[s] nossa[s] sexualidade[s] e suas práticas artísticas. “Por baixo dos panos” é sorrateiramente popular. Tenta viver às escondidas, no entanto, já cantava Ney Matogrosso: “É debaixo dos pano que a gente esconde tudo”, mas “não se fica mudo”. A voz amplifica. E quanto mais colocam panos para cobrir nossas sexualidades, mais nossas vozes se amplificam.

 

É a primeira exposição presencial relacionada aos projetos de extensão Ars Sexualis, coordenados pelas professoras Daniela Pinheiro Machado Kern e Paola Zordan. O termo Ars Sexualis surge a partir dos diálogos entre as pesquisas de Bruno Novadvorski e Sue Gonçalves, em 2021, e de encontros numa disciplina de graduação, junto ao estudo de A História da Sexualidade: a vontade de saber, de Michel Foucault, imiscuindo o que o autor define como a scientia sexualis que no século XIX emergia no ocidente e a milenar ars erotica oriental. O projeto, o qual extrapola a inserção de ações no sistema institucional e temas tratados pelas professoras envolvidas, parte da iniciativa de discentes dos cursos de graduação e pós-graduação dos cursos de História da Arte e Artes Visuais, com apoio de docentes do Departamento de Artes Visuais.

 

O Ars Sexualis: Seminário Internacional de Artes Visuais, cuja segunda edição ocorreu em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Artes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPGArtes/UERJ), em agosto de 2022, representada pelo professor Alexandre Sá, constitui-se de eventos de muitas participações, mas também envolve produções intelectuais imanentes à criação artística.

 

Além de envolver a necessária e profícua discussão promovida nas edições dos Seminários, pensa-se Ars Sexualis como conceito para pesquisas poéticas, transdisciplinares e historiográficas, as quais envolvem textos específicos do campo ampliado das artes em suas relações com a contrassexualidade, estudos de gênero e outros tópicos desenvolvidos em torno do corpóreo e suas (re)apresentações gráficas, plásticas, performáticas, pictóricas e audiovisuais. Paralelamente a ambas as edições do Seminário, as quais ocorreram de modo remoto, aconteceram a Mostra Digital Ars Sexualis (2021) e a ContraProduções Surubáticas - Mostra Digital Ars Sexualis (2022). A exposição Ars Sexualis: por baixo dos panos encerra as ações de 2022 trazendo, pela primeira vez, uma iniciativa presencial que permite que a comunidade acadêmica em geral acesse as obras em seu efetivo estado físico. 

 

A exposição marca uma diversidade de artistes de diferentes lugares do Brasil, bem como de outros países, incluindo brasileiros, brasileiras e brasileires residentes no exterior. Sempre destacamos a importância da valorização das produções artísticas brasileiras em seu próprio território, tornando assim “nossa grama mais verde que a do vizinho”. De qualquer modo, as sexualidades não são fixas, pelo contrário, sua umidade escorrega entre territórios e em cada contexto apresenta distintas questões, a exemplo do não binarismo de gênero e os tabus em relação aos corpos, em suas estéticas, formas e expressões. 

 

Outra característica importante da exposição Ars Sexualis: por baixo dos panos é a conexão direta entre instituições sistêmicas do conhecido mundo das artes, a instituição acadêmica, a instituição Pinacoteca Barão de Santo Ângelo e os agentes que transitam na exposição, como a equipe curatorial, os/as/es artistas/es - como um amplo leque de seres, com vida acadêmica ou fora da academia. Tal perspectiva amplia o rol de produções para além do que se pesquisa, mesmo que, desde sua emergência, Ars Sexualis seja uma provocação advinda de estudos.

 

Artistes
 

(Brasil)

 

  • Abhiyana
  • Alair Gomes
  • Alexandre Sá
  • Ana Mogli Saura
  • Bruna Kury 
  • Bruno Novadvorski
  • Bub
  • Carlos Henrique
  • Chris, The Red
  • Dariane Mertiól
  • Eduardo Kac
  • Gabi Faryas
  • Hilda de Paulo
  • KHÁOS
  • Levi Banida
  • Órion Lalli
  • Paola Zordan
  • PC
  • Preta Evelin
  • Rainnery Queercore
  • Ricardo Ayres
  • Sue Gonçalves
  • Taliboy
  • Xan Marçall

 

(Chile)

 

  • Marcelo Rivera Fuenzalida

 

(Espanha)
 

  • O.R.G.I.A (Carmen G. Muriana, Beatriz Higón, Tatiana Sentamans)